sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Motorista do Uber é espancado por taxistas








Bráulio Escobar em reprodução do vídeo em que foi socorrido por clientes de mercado

Ao menos dois taxistas que espancaram com socos e pontapés um motorista do Uber, na quinta-feira (26), em Porto Alegre, devem perder seus alvarás e ser impedidos de exercer a profissão na capital gaúcha. Cauê Cavalheiro Varella e Alexandro dos Santos Scheffer foram presos e responderão na Justiça por tentativa de homicídio e dano qualificado.
Segundo contou aos investigadores do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), Bráulio Pelegrini Escobar, de 40 anos, foi vítima de uma emboscada organizada por taxistas, na qual um deles solicitou o serviço do Uber pelo aplicativo e, com a ajuda de outro colega, praticou o espancamento no estacionamento de um supermercado na zona leste da cidade. A cena foi filmada por clientes no local. 
Em nota, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), responsável pela gerência do transporte público em Porto Alegre, afirmou que já suspendeu preventivamente os taxistas agressores e disse acompanhar o andamento das investigações policiais. 


"A empresa ressalta que não pode banir envolvidos na agressão antes da conclusão do caso. Por isso, a suspensão preventiva", justificou. "Se a Justiça considerar os envolvidos culpados, a Eptc banirá os taxistas do sistema."
A agressão ocorreu um dia depois de a Câmara dos Vereadores de Porto Alegre aprovar a proibição do aplicativo na cidade, projeto de lei semelhante àqueles aprovados em outras capitais brasileiras nos últimos meses – caso de Rio de Janeiro e São Paulo. O texto ainda tem de ser sancionado pelo prefeito José Fortunati para entrar em vigor. 
Apesar da violência, casos semelhantes já ocorreram em diversas outras cidades. Em agosto, um casal foi cercado por taxistas e gratuitamente espancado por eles quando tentava usar o serviço do aplicativo no Rio. Em São Paulo a campanha de taxistas contra o Uber também é grande.
"Eu repudio todo o ato de agressão, principalmente este de tamanha covardia que tomei conhecimento, em que motoristas de táxi agrediram o motorista do Uber [...] O papel de coibir os transportes clandestinos, cabe única e exclusivamente aos agentes de trânsito e Brigada Militar", escreveu o prefeito Fortunati em sua página no Facebook.
"Assim que terminar a apuração, defendo a maior punição possível, impedindo que estas pessoas transportem passageiros na cidade de Porto Alegre. A Eptc vai se valer tanto das imagens captadas como do boletim de ocorrência registrado pela Brigada Militar para levar adiante as investigações."




← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...