Se você viu o filme “Homem de Ferro” com Robert Downey Jr., que interpreta o papel de Tony Stark, bilionário excêntrico, filantropo, engenheiro genial, playboy carismático e simplesmente um dos homens mais influentes deste século, possivelmente sabe que seu protótipo é um homem real - Elon Musk, bilionário americano, fundador e proprietário da companhia SpaceX (produtora dos foguetes cósmicos Falcon). Musk, além de ser realmente um dos engenheiros mais notáveis da atualidade, tem possibilidades praticamente ilimitadas de realização de suas ideias ambiciosas.

Assim, recentemente ele propôs um novo tipo de transporte super-veloz intitulado de Hyperloop. O que é isso? Para responder a esta pergunta vale a pena lembrar como funciona o sistema de correio pneumático, pois foi justamente ele que Elon Musk colocou como base de sua ideia.
Hyperloop é um sistema de tubos com bombagem interna do ar, pelos quais irão se mover cápsulas de transporte especialmente projetadas para passageiros e cargas. Elas terão aproximadamente 5 metros de comprimento e seu peso não irá ultrapassar 185 quilos. Em uma dessas cápsulas poderão viajar simultaneamente 6 pessoas que, segundo afirma os engenheiros, não irão sentir quaisquer sobrecargas. O aparelho irá desenvolver uma velocidade de até 6.500 quilômetros por hora, mas a aceleração não irá ultrapassar 1G, o que é um índice bom, se o projeto for realizado.
O especialista da Voz da Rússia, economista Ilia Volkov, avaliou a rentabilidade do projeto Hyperloop, para entender o quanto ele poderá ser competitivo no sistema contemporâneo de transportes de passageiros:
“Em primeiro lugar gostaria de assinalar a solução interessante e economicamente atraente proposta por Elon Musk. Segundo cálculos feitos por um grupo de especialistas independentes, a construção do sistema de transportes pneumáticos Hyperloop será dez vezes mais rentável do que a construção de ferrovias de alta velocidade entre dois pontos de destino.
Os gastos mínimos de energia, o aspeto ecológico, a velocidade extremamente alta e o preço relativamente baixo das passagens – planeja-se que a passagem da costa Ocidental à Oriental dos EUA custe apenas 100 dólares – poderão ser os argumentos mais convincentes para a concretização deste fantástico projeto.”
Entretanto, nem tudo são facilidades. Muitos engenheiros não compreendem como serão construídos túneis de muitos quilômetros sem ar e o quanto eles serão seguros. Ilia Volkov compartilha desses receios:
 “Naturalmente que aqui surgem muitas questões relativas à realização de projeto tão fora do comum. Por exemplo, onde e como serão colocados os túneis? Esta questão é sobretudo importante, quando se trata da construção do sistema Hyperloop em sua versão transcontinental, pois Musk visa no fundamental os transportes de carga e passageiros interatlânticos. Em todo o caso, se o Hyperloop for aprovado e considerado tecnicamente realizável, como o foram os projetos anteriores de Elon Musk, não se poderá duvidar de sua segurança e rentabilidade.”
Assim, resta esperar um pouco para saber se teremos num futuro breve a possibilidades de realizar uma viagem em torno da terra em apenas 6 horas.