segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Acaba rebelião na Fundação Casa; 54 menores fugiram



Danilo Verpa/Folhapress

Terminou por volta das 15h30 a rebelião na Fundação Casa (antiga Febem) de Itaquera (zona leste de SP). Essa foi o segundo motim ocorrido nesta segunda-feira (12) em São Paulo. Pouco antes, menores da unidade da Vila Leopoldina (zona oeste) também se rebelaram e fizeram reféns.

O diretor da unidade de Itaquera e outros 29 reféns foram levados com ferimentos leves para o hospital Santa Marcelina. Além dele, outras vítimas foram feridas pelos jovens. Nenhum interno ficou machucado durante a rebelião, segundo informações da própria Fundação Casa.


De acordo com a assessoria da fundação, a rebelião começou com jovens que não conseguiram fugir da unidade após um grupo conseguir escapar. Durante a rebelião, outros menores conseguiram fugir. A Folha flagrou mais de dez internos escapando pelo muro da instituição.

De acordo com o corregedor-geral da Fundação Casa, Jadir Pires de Borba, 54 menores conseguiram fugir e, por volta das 20h30, apenas 17 tinham sido recapturados. A PM continua com buscas pela região. "Essa é a maior fuga dos últimos cinco anos da Fundação Casa", afirma.


VILA LEOPOLDINA

Na rebelião da zona oeste, 12 pessoas ficaram reféns. Para a Fundação Casa, ainda não há qualquer relação entre os dois casos. Na Vila Leopoldina, um grupo de menores iniciou o motim por volta das 9h20 em uma sala de aula após uma tentativa frustrada de fuga.

De acordo com o corregedor-geral, há muita destruição dentro da unidade. Segundo ele, será investigado a participação de cada um dos infratores e eles deverão ser responsabilizados.

Segundo Borba, alguns menores tiveram escoriações, mas ninguém ficou ferido com gravidade. Os menores queimaram objetos dentro no pátio da unidade e escreveram frases como "Paz e justiça" no chão.

O Grupo de Apoio da Fundação Casa, conhecido como Choquinho, foi acionado, mas não precisou entrar entrou na unidade.

O prédio da Vila Leopoldina tem capacidade para 150 internos e 100 adolescentes estão no local. Já o prédio da zona leste tem capacidade para 152 jovens e abriga 103.

Os motins acontecem a menos de um mês de um outro motim que houve em uma unidade da Fundação Casa, na Grande São Paulo. No último dia 18 de julho, 17 funcionários da unidade Tapajós, em Franco da Rocha, foram mantidos reféns pelos internos. Três deles ficaram feridos.

Fonte: Folha de S. Paulo

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...